top of page

Como funciona o licenciamento Microsoft

Atualizado: 26 de jul. de 2023



Introdução


O licenciamento da Microsoft é um tema essencial para empresas e usuários que utilizam os produtos e serviços da gigante de tecnologia. Compreender como funcionam as licenças é fundamental para garantir a conformidade legal, otimizar os investimentos em software e aproveitar ao máximo as funcionalidades oferecidas. Neste blog, iremos explorar os diferentes tipos de licenciamento da Microsoft a nível empresarial, explicar os principais conceitos e ajudar você a entender como adquirir e gerenciar licenças de forma eficiente para seu negócio.


Uma nova abordagem para empresas


Ao longo de décadas, o Licenciamento Open da Microsoft tem sido a escolha preferencial para empresas adquirirem produtos Microsoft. No entanto, essa era chegou ao fim em janeiro de 2021, quando o Licenciamento Open foi encerrado. Em seu lugar, surge uma nova solução: o Licenciamento Microsoft CSP, que significa Cloud Solution Provider (provedor de soluções em nuvem).


Ao contrário do que o nome sugere, o Licenciamento Microsoft CSP não se limita apenas a licenças exclusivamente baseadas na nuvem. Na verdade, todos os produtos que antes estavam disponíveis no Licenciamento Open, como licenças perpétuas ou por assinatura, continuam disponíveis no Licenciamento Microsoft CSP.


Essa nova abordagem proporciona mais flexibilidade para as empresas, permitindo que elas aproveitem as vantagens tanto de produtos em nuvem quanto de soluções locais. Com o Licenciamento Microsoft CSP, as empresas têm acesso a um amplo portfólio de produtos e serviços Microsoft, podendo escolher as opções que melhor atendem às suas necessidades específicas.


Além disso, o Licenciamento Microsoft CSP oferece uma experiência simplificada de aquisição e gerenciamento de licenças. As empresas podem contar com parceiros especializados, os provedores de soluções em nuvem, que estão preparados para ajudá-las a encontrar as soluções mais adequadas, fornecer suporte técnico e oferecer um atendimento personalizado.


Dessa forma, o Licenciamento Microsoft CSP representa uma evolução na forma como as empresas podem adquirir e utilizar os produtos e serviços Microsoft. Agora, elas podem explorar todo o potencial da nuvem e das soluções locais de maneira mais eficiente e adaptada às suas necessidades específicas.


Diferenças entre o Open e o CSP


O Licenciamento Microsoft CSP é dividido em três categorias:


  • Licenças Cloud, exclusivamente para uso em nuvem;

  • Licenças por assinatura, para instalação em PCs ou servidores (algumas podem ter componentes que funcionam tanto na nuvem quanto localmente);

  • Licenças perpétuas, que seguem o modelo tradicional para instalação somente local, onde o cliente paga apenas uma vez pela licença.


Os modelos de licenciamento por Servidor + CAL (Cliente/Servidor) e por Cores (que dispensam as CALs) ainda estão disponíveis para produtos como o Windows Server, SQL Server, entre outros.


Se você optar pelo licenciamento por CALs, ainda existem opções para licenciar o acesso ao servidor por dispositivos (Device) ou por usuários (User):


CALs por usuarios (User)


Você adquire uma CAL para cada usuário que acessa o servidor para usar serviços como armazenamento de arquivos ou impressão, independentemente do número de dispositivos que usam para esse acesso. Adquirir uma User CAL pode fazer mais sentido se os funcionários de sua empresa precisarem ter acesso móvel à rede corporativa usando vários dispositivos, ou de dispositivos desconhecidos, ou se você simplesmente tiver mais dispositivos do que usuários em sua organização.


CALs por dispositivo (Device)


Você adquire uma CAL para cada dispositivo que acessa seu servidor, independentemente do número de usuários que usam esse dispositivo para acessar o servidor. Device CALs podem fazer mais sentido econômico e administrativo se sua empresa tiver funcionários que compartilham dispositivos, por exemplo, em diferentes turnos de trabalho.



No caso do licenciamento por Cores, que dispensa a aquisição de CALs na maioria dos casos (exceto para o Windows Server, que mesmo licenciado por Cores, ainda exige CALs), a quantidade mínima de Cores para a aquisição inicial do Windows Server é de 16, e para o SQL Server, 4 Cores.


O licenciamento Cloud normalmente se refere a produtos baseados no Azure, mas alguns produtos, como o Exchange, funcionam de forma muito mais eficiente na nuvem do que localmente. É sempre recomendável consultar os especialistas da Audere para determinar qual é a melhor versão para o seu caso específico.


Não existe uma regra específica sobre quais produtos estão disponíveis em versão perpétua, por assinatura ou na nuvem. Alguns produtos podem estar disponíveis em todos os três modelos, em apenas dois deles ou até mesmo em apenas um. É sempre importante consultar-nos para obter informações precisas.


Ao contrário do Licenciamento Open, não é mais necessário adquirir um mínimo de 5 licenças para iniciar um contrato CSP. Agora, você pode iniciar seu licenciamento com apenas uma licença, se desejar.


Essas informações visam fornecer uma visão geral do Licenciamento Microsoft CSP e esclarecer algumas das diferenças em relação ao Licenciamento Open. Recomendamos sempre buscar orientação especializada para obter informações atualizadas e detalhadas sobre o licenciamento de produtos Microsoft.



É possível realizar Downgrade de Open para CSP? Sim e não:


É possível fazer um downgrade para versões anteriores dos softwares da Microsoft, permitindo que os clientes utilizem versões mais antigas dos produtos. Isso é o oposto do upgrade, onde a compra de uma versão atual dá direito ao uso de versões anteriores. O processo de downgrade é útil para aqueles que precisam continuar usando versões antigas por questões de compatibilidade e é aplicável a todos os produtos da Microsoft.


Realizar um downgrade é simples e gratuito. Basta adquirir o software atual em revendas oficiais da Microsoft e, com o link de download fornecido pela Microsoft, obter imediatamente até duas versões anteriores por meio do downgrade. Esse processo é automatizado e facilitado pelo link do site da Microsoft que acompanha a aquisição da licença. Se você precisar de uma versão ainda mais antiga do produto, poderá entrar em contato com o suporte da Microsoft pelo telefone 0800 para verificar a disponibilidade, embora seja improvável que essas versões estejam disponíveis. Caso estejam, a equipe de suporte da Microsoft enviará um e-mail com instruções sobre como fazer o download. Esse e-mail é importante para fins de conformidade, pois é fornecido pela própria Microsoft.


  • Segunda-feira à Sexta-feira das 09h00 às 21h00

  • Aos finais de semana das 10h00 às 18h00

  • Grande São Paulo: (11) 4706 0900 - Opções 2-3-2.

  • Demais localidades: 0800 761 7454 - Opções 2-3-2.


No entanto, para os clientes que fizeram a transição do modelo de licenciamento Open para CSP a partir de janeiro de 2022, não é possível fazer downgrade dentro do mesmo modelo de licenciamento. O downgrade mencionado acima se aplica apenas dentro do Licenciamento CSP. Isso ocorre porque a linha de licenciamento Open foi encerrada em janeiro de 2021 e não existem mais licenças Open disponíveis para realizar o downgrade.


Na prática, isso não causa problemas para clientes que estão adquirindo suas primeiras licenças. Em termos técnicos, o Windows Server 2019 "CSP", por exemplo, obtido por meio do downgrade do Windows Server 2022 CSP, é exatamente o mesmo software vendido anteriormente como Open.


No entanto, se o cliente já possui um ambiente legado com licenças Open do Windows Server 2019, por exemplo, não é possível expandir esse licenciamento por meio do downgrade para o modelo CSP. Por exemplo, se o cliente tinha apenas 2 máquinas virtuais Hyper-V (VMs) licenciadas com o Windows Server 2019 Open e precisa adicionar mais 2 VMs, será necessário adquirir uma nova licença CSP do Windows Server 2019 com 16 Cores. No entanto, como mencionado anteriormente, o downgrade permite apenas obter uma versão anterior do software, mas não altera o tipo de licenciamento. Como não é possível adicionar uma licença CSP a um servidor com licença Open existente, fica impossibilitada a expansão do número de VMs no servidor legado. Na prática, será necessário re-licenciar todo o servidor no modelo CSP para expandi-lo.


O mesmo exemplo pode ser aplicado a CALs (Client Access Licenses) de qualquer tipo. Se o cliente já possuía 10 CALs do SQL Server 2016 Open e precisa adquirir mais 5 CALs, isso não pode ser feito no modelo CSP. Nesse caso, será necessário adquirir 15 CALs no modelo CSP.


Licença Microsoft perpétua ou por assinatura?


Os licenciamentos em nuvem e por assinatura estão disponíveis em opções de pagamento anual, e em alguns casos, também mensalmente. Essa flexibilidade permite que as empresas realizem investimentos parcelados na aquisição de soluções da Microsoft, além de oferecerem o benefício de sempre estarem atualizadas. Por exemplo, ao adquirir o Windows Server por assinatura com duração de 1 ou 3 anos, durante todo o período do contrato, se uma nova versão do software for lançada, você receberá automaticamente essa versão e terá a opção de realizar o upgrade ou permanecer na versão atual.


No caso do licenciamento perpétuo, o cliente realiza o pagamento único pelo produto e, caso deseje migrar para uma nova versão (quando e se essa versão for lançada), é necessário adquirir um upgrade separadamente.


Essas diferentes opções de licenciamento oferecem escolhas aos clientes, dependendo de suas necessidades e preferências. O licenciamento em nuvem e por assinatura proporciona maior flexibilidade de pagamento e acesso às atualizações contínuas, enquanto o licenciamento perpétuo envolve um pagamento único, com a opção de realizar upgrades adicionais conforme necessário. É importante considerar as características de cada modelo e escolher aquele que melhor se adequa aos requisitos e estratégias de negócio da sua empresa.


Resumo descritivo das licenças Microsoft


Na Audere facilitamos a distinção entre os diferentes tipos de licenças em nosso site. Aqui está uma descrição de cada uma delas

  • Licença anual Cloud;

  • Licença mensal Cloud;

  • Licença anual Subscription (assinatura);

  • Licença mensal Subscription (assinatura);

  • Licença perpétua.

Confira abaixo algumas das opções disponíveis:


Licença OEM (Original Equipment Manufacturer): Esse tipo de licença é pré-instalado de fábrica nos computadores e servidores, ou adaptado por fabricantes específicos para determinadas máquinas. As licenças OEM não podem ser comercializadas nem transferidas para outros computadores.


Licença COEM (Commercial Original Equipment Manufacturer): Trata-se de uma licença física que inclui uma etiqueta, mídia e documentação. Ela deve ser instalada apenas em computadores sem sistema operacional pré-instalado ou que ainda não possuam uma versão do Windows. Essa licença fica vinculada ao hardware do computador, não podendo ser alterada em termos de placa-mãe e/ou processador.


Licença ESD (Eletronic Software Delivery): Essa licença é entregue digitalmente por e-mail, dispensando a necessidade de mídias físicas e documentação em formato físico, como etiquetas ou cartões. A Microsoft oferece o ESD como uma opção para substituir as licenças físicas e evitar os custos operacionais associados ao envio de caixas. Essa licença é associada ao hardware do computador onde é instalada, impedindo alterações em componentes como placa-mãe e/ou processador.


Licença FPP (Full Packaged Product): Essa licença é enviada fisicamente ao cliente, acompanhada de mídia física (DVD) e documentação, como etiquetas ou cartões. Ela também fica vinculada ao hardware do computador, não podendo ser alterada em termos de placa-mãe e/ou processador.


Licença GGK (Get Genuine Kit): Trata-se de uma licença física que acompanha uma etiqueta, mídia e documentação. Essa licença deve ser instalada em computadores que já foram notificados sobre a irregularidade de sua licença. Assim como as outras opções, ela é atrelada ao hardware do computador, impossibilitando alterações em componentes como placa-mãe e/ou processador.


MCA (Microsoft Cloud Agreement) é um contrato de licenciamento transacional para organizações comerciais e governamentais que buscam terceirizar totalmente o gerenciamento de seus serviços de nuvem por meio de um CSP (Cloud Solution Provider).


Em combinação com os serviços de valor agregado oferecidos por um integrador de sistemas, parceiro de hospedagem ou parceiro de revendedor que começou na nuvem, o programa CSP oferece uma maneira fácil de licenciar os serviços de nuvem de que seus clientes precisam.


MOSA (Microsoft Online Subscription Agreement) é um contrato de licenciamento transacional para organizações comerciais, governamentais e acadêmicas com um ou mais usuários/dispositivos. O MOSA funciona melhor para organizações que desejam assinar, ativar, provisionar e manter serviços de nuvem de maneira direta e sem problemas por meio da Web com o MOSP.


MOSP (Microsoft Online Subscription Program) é um programa de licenciamento por volume da Microsoft baseado em assinatura para organizações com cinco ou mais usuários que desejam assinar, ativar, fornecer e manter serviços de forma integrada e acessível. MOSP é muito flexível e é ideal para qualquer tipo de organização que queira agregar serviços online ao seu portfólio


Cada tipo de licença possui suas próprias características e requisitos específicos, e a escolha adequada dependerá das necessidades e circunstâncias individuais de cada empresa. É importante compreender as diferenças entre essas opções para garantir um licenciamento correto e em conformidade com as políticas da Microsoft.

Existem diferentes modelos de licenciamento disponíveis para Microsoft 365, Office e outros aplicativos, tanto por assinatura quanto perpétua.


Nesse modelo de Licenciamento Microsoft CSP, é bastante simples: é necessário adquirir uma licença para cada máquina em que o software será instalado, independentemente de ser uma licença por assinatura ou perpétua. Portanto, se você precisa do Office 2023 (ou uma versão posterior) ou do Microsoft 365 para 10 máquinas, é necessário adquirir 10 licenças do produto escolhido. Depois, você escolhe se prefere fazer o pagamento único (licença perpétua) ou optar por um pagamento mensal ou anual (licença por assinatura).


Vamos explorar os diferentes modelos de licenciamento que envolvem Servidor + CAL, proporcionando um excelente custo-benefício para pequenas e médias empresas.


No licenciamento tradicional de servidores de rede, os clientes precisavam adquirir uma licença para o servidor em si, como o Windows Server 2022, por exemplo, e uma licença de acesso para cada máquina ou usuário que necessitasse se conectar a esse servidor, conhecida como CAL (Client Access License). Nesse modelo, o preço da licença do servidor é fixo, independentemente da configuração do servidor, seja ele um servidor Quad-Core simples ou um poderoso servidor Dodeca-Core. Essa lógica se aplica ao Windows Server Standard Edition, SQL Server Standard Edition e outros produtos. Esse modelo de licenciamento é ideal para empresas com poucas estações ou usuários conectados ao servidor, pois o valor do investimento é determinado pelas CALs. Geralmente, se a infraestrutura prevê apenas 1 ou 2 servidores com até 30 estações ou usuários, esse modelo oferecerá o melhor custo-benefício para a empresa.


No Licenciamento Microsoft CSP, esse modelo de licenciamento de Servidor + CAL está disponível tanto para versões perpétuas quanto por assinatura. Isso significa que você pode optar por uma licença perpétua, pagando uma única vez pelo produto, ou escolher uma licença por assinatura, com pagamentos mensais ou anuais. Essa flexibilidade permite que você escolha o modelo que melhor atenda às necessidades da sua empresa.


Licenciamento por Cores, dispensa aquisição de CALs - Acima de 30 estações


Desde a implementação do licenciamento Open, a Microsoft introduziu uma nova abordagem para o licenciamento por Cores em sua linha de produtos de servidores. Cada Core representa um núcleo de processador físico presente na máquina em que a licença será instalada. Por exemplo, um servidor com um processador Quad-Core possui 4 Cores, enquanto um servidor Octa-Core possui 8 Cores, e assim por diante.


Ao adquirir uma licença de servidor baseada em Cores, você não precisa comprar Client Access Licenses (CALs) para cada estação de trabalho ou usuário (exceto para o Windows Server Standard, que, mesmo licenciado por Cores desde a versão 2016, ainda exige CALs). Você pode conectar um número ilimitado de máquinas ou usuários a esse servidor, investindo apenas na licença do servidor. Esse modelo de licenciamento é ideal para empresas com um grande número de clientes.


No entanto, algumas restrições se aplicam:

  • Diversos produtos exigem a aquisição de um número mínimo de Cores na compra inicial. Isso significa que, mesmo que o seu servidor possua apenas 4 Cores, você terá que adquirir o número mínimo de Cores especificado para a licença em questão.

  • Por exemplo, o Windows Server 2022 é vendido com um mínimo de 16 Cores por servidor (e um mínimo de 8 Cores por processador neste servidor, resultando no maior número total de Cores), e o SQL Server 2022 Core precisa ser licenciado com um mínimo de 4 Cores. Portanto, mesmo que o seu servidor possua apenas um processador de 4 Cores, você precisará adquirir uma licença do Windows Server com 16 Cores, pois esse é o mínimo exigido para a licença inicial de um servidor com 1 processador de 2 a 16 Cores. Sempre que possível, a Audere descreve esses requisitos no próprio nome do produto em seu site.

  • O número de Cores adquiridos por licença precisa corresponder, no mínimo, ao número de Cores físicos presentes em seu servidor. Por exemplo, você não pode instalar uma licença do SQL Server com 4 Cores em um servidor Octa-Core. Nesse caso, você precisará adquirir 8 Cores do SQL Server.


É importante destacar que não há diferença técnica entre o número de Cores licenciados e o número físico de Cores presentes no servidor onde a licença será instalada. As exigências mencionadas são especificadas pelo licenciamento da Microsoft para fins de conformidade legal. Um servidor com mais Cores físicos do que os Cores licenciados estará em situação ilegal e estará sujeito a multas e sanções conforme estabelecido na Lei de Software, que podem chegar a até 3.000 vezes o valor de cada licença ilegal.


Após a compra inicial, é possível expandir o número de Cores adquiridos em pacotes de 2 Cores. Isso é particularmente útil quando você realiza o upgrade de um servidor para um modelo mais poderoso. Por exemplo, se você licenciou o SQL Server com apenas 4 Cores em um servidor Quad-Core e, posteriormente, migra para um servidor Hexa-Core, você precisará adquirir apenas mais 1 licença de 2 Cores.


Audere, parceira Microsoft


A Audere oferece todo o portifólio da Microsoft como Windows Server, o SQL Server, o Exchange o Windows 11 e 10 e todas as principais CALs destes produtos. Essas licenças podem ser adquiridas juntamente com um computador ou separadamente, dependendo do tipo de licença escolhido. Concedemos o direito legal de uso das licenças que os usuários possam aproveitar todas as funcionalidades dos softwares sem expor seus computadores e servidores a riscos. É altamente recomendado que, antes de adquirir qualquer um desses produtos, você tenha certeza sobre qual tipo de licença atende melhor às suas necessidades. É importante fazer uma escolha consciente para garantir o licenciamento adequado e obter todos os benefícios e recursos disponíveis.

Venha agora mesmo aderir a Audere!

☎️ (11) 4063-2655 ✉️ vendas@audere.com.br

628 visualizações1 comentário

1 Comment


Unknown member
Aug 03, 2023

Bom dia, ótima explicação quem vai comprar software Microsoft nesse momento encontra uma grande indefinição e ate mesmo divergências no valor por falha na interpretação das licenças essa matéria esta perfeita explicando detalhadamente as possibilidade, obrigado.

Like
bottom of page